Sendo a exposição o "média" do Museu, instrumento da própria linguagem museológica, a apresentação das colecções, organização e concepção, passou por dois critérios: o estudo dos objectos e os diferentes públicos a que se destina. A apresentação dos diversos elementos da exposição faz-se então obedecendo a um percurso temático, num discurso que segue um esquema espacio-cronológico e social, onde o objecto é mais do que o testemunho material de uma época.

O espaço expositivo do 1º e 2º andar alberga exposições de grande duração, caracterizando o concelho através da história e da etnografia locais, permitindo a sua identificação no mosaico nacional de culturas regionais. O rés-do-chão é dedicado às exposições temporárias, e tem uma individualidade própria, cuja visita se deverá fazer acompanhada de um roteiro/catálogo editado a cada conteúdo expositivo.

 

1º Andar (Colecção Semi-Permanente):
  Sala de Etnografia e Cultura Material

2º Andar (Colecção Permanente):
  Sala de Arqueologia e História

Rés-do-Chão (Colecções Temporárias):
  Sala dos Azulejos