Francisco Martins de Gouveia Morais Sarmento nasceu, em Guimarães, a 9 de Março de 1833 e faleceu, nesta mesma cidade, a 9 de Agosto de 1899.
Fez os seus primeiros estudos em Guimarães e continuou-os no Porto. Aos quinze anos matriculou-se na Universidade de Coimbra, onde, cinco anos mais tarde, alcançou a carta de bacharel em Direito.

Inicia a sua actividade literária publicando um livrinho de poesia, colabora na Imprensa vimaranense, inicia um trabalho de recolha de contos populares que hoje constituem preciosa herança etnográfica, pertence ao escasso grupo dos percursores da fotografia em Portugal, dedica-se com paixão á investigação arqueológica.

Nesta última actividade, e valendo-se dos conhecimentos teóricos por si adquiridos e das escavações que meticulosamente foi realizando na Citánia de Briteiros, coloca Portugal em posição destacada, no domínio da arqueologia, em relação ao que de mais avançado se fazia na Europa do último quartel do século XIX.

Foi esse prestígio que permitiu a Guimarães ser a sede, em 1877 da I Conferência Arqueológica realizada em Portugal.
Três anos depois, alguns dos mais importantes arqueólogos europeus deslocaram-se á Citánia e não pouparam as palavras de elogio á obra de Sarmento.