Ponte das Cainheiras
Ponte      Cronologia: Idade Média

Lugar : Cainheiras
Freguesia :
castro Laboreiro
Concelho : Melgaço
Código Administrativo : 1603002
Latitude : 501,8
Longitude : 199,5
Altitude : 970m

Acesso : No extremo Nordeste da "inverneira" de Cainheiras, cerca de 2 kms a Sudeste de Castro Laboreiro. O acesso faz-se a pé (cerca de 5 minutos) desde o lugar de Cainheiras, onde se chega por um estradão de terra batida que liga à estrada municipal que prolonga a EN.202-3 até à fronteira da Ameixoeira. O monumento não está sinalizado.

Descrição arqueológica : Esta ponte de tradição arquitectónica medieval cruza o rio das Cainheiras numa zona paisagisticamente agradável, onde se conserva com harmonia o tradicional ordenamento agrário tipo campo-prado e bosquetes climácicos. É interessante pelas características arquitectónicas que patenteia, transmitindo uma imagem de grande solidez e equilíbrio, em grande parte devido ao seu aspecto atarracado e simetria do desenho. Revela uma boa fábrica, apresentando-se solidamente assente nas margens. Tem dois arcos de volta perfeita, praticamente iguais (cerca de 3 metros de diâmetro), formado por aduelas longas bem montadas em aparelho regular. Nos intradorsos são visíveis os encaixes dos cimbres. O pegão central é protegido a montante por um talhamar prismático O tabuleiro, em cavalete pouco pronunciado, com guardas pétreas e lajeado, mede quase 3 metros de largura e vence um triedro total superior a 7 metros de comprimento e 2 metros de altura. O aparelho dos paramentos é pouco cuidado. O monumento e a envolvência paisagística apresentam-se bem conservadas.

Interpretação : Podendo não ser uma construção cronologicamente medieval, como indicia a ausência de siglas de canteiro , revela características técnicas e formais dessa época.

Interesse : Para além do valor patrimonial do monumento, (classificado como IIP (Dec. 1/86 de 3-1), a ponte das Cainheiras detem um inegável significado histórico-cultural local, porque se relaciona, não apenas com a rede de comunicações vicinais a Sul e Este de Castro Laboreiro, como também com a rede viária regional minhoto-galaica que colocava Castro Laboreiro na ligação entre Melgaço ou Arcos de Valdevez e Bande, fazendo designadamente uma ligação intermédia entre os eixos de comunicação que de Castro Laboreiro conduziam à Galiza por nascente em direcção a Celanova (por Portos e Seara) e por Sul em direcção a Entrimo e Lobios (por Ameixoeira), Embora se distinga no conjunto das obras pontísticas de Castro Laboreiro, do ponto de vista arquitectónico esta ponte não tem expressão regional.

Bibliografia

Autor : Luis Fontes

Data Última Actualização : 04-FEV-1998